GEPDHS

O Grupo de Estudos e Pesquisas em Desenvolvimento Humano e Socioeducação (GEPDHS) da Universidade de Brasília (UnB) propõe-se a reunir pesquisadores, docentes e estudantes de graduação e pós-graduação interessados em estudos e pesquisas sobre o desenvolvimento humano, sob a perspectiva histórico-cultural, em sua inter-relação com os processos educativos e a socioeducação. Organiza-se em torno de iniciativas de extensão e intervenção social; pesquisa, produção e divulgação do conhecimento; e ensino, voltado à formação inicial de estudantes de graduação e à formação continuada de profissionais que trabalho na socioeducação. Os estudos e publicações do Grupo organizam-se em torno de duas linhas de pesquisa – Desenvolvimento Humano, cultura e práticas socioeducativas; e Docência e Processos de escolarização na Socioeducação – visando contribuir para o avanço e disseminação do conhecimento sobre socioeducação e sua inter-relação com o desenvolvimento humano.

A criação do GEPDHS tem sintonia com a trajetória de trabalho colaborativo entre a universidade e o campo socioeducativo. Essa trajetória teve início em 2011 por meio de trabalhos em conjunto com coordenadores e professores da escola inserida em uma unidade de internação do Distrito Federal (DF), profissionais desta mesma unidade e também professores e estudantes da Faculdade UnB Planaltina (FUP-UnB). Àquela época, circunscrita ao Projeto de Extensão “Integração Psicologia e Educação: articulações para a formação profissional”, coordenado pela Profª Drª Cynthia Bisinoto (UnB), a parceria estava direcionada ao processo de construção do Projeto Político-Pedagógico (PPP) da escola da referida unidade.

Ao longo do processo, e com o crescente envolvimento de outros atores mobilizados por questões do cotidiano socioeducativo, as razões que motivavam nossa parceria foram se modificando e se diversificando, consoante às necessidades, preocupações e inquietações que emergiam do dia-a-dia. O interesse por participar de um espaço de estudo, reflexão e debate no campo da Socioeducação foi se mostrando comum a muitos profissionais das medidas socioeducativas do DF. Dessa forma, a parceria que de início estava atrelada à realidade de uma única unidade de atendimento socioeducativo de meio fechado foi se expandindo e alcançado, paulatinamente, as diferentes medidas socioeducativas.

Nesse processo vimos ocorrer, também, a diversificação do perfil dos profissionais que tinham interesse em participar do grupo, o qual passou a acolher professores, coordenadores pedagógicos, psicólogos escolares, especialistas e agentes socioeducativos, gestores, além de pesquisadores e estudantes universitários, todos envolvidos com a Socioeducação. O fato é que a partir do projeto de extensão que era inicialmente direcionado para a construção do PPP da escola, outras articulações muito frutíferas foram se estabelecendo de modo que a nossa parceria, inicialmente circunscrita ao território de Planaltina/DF, ganhou asas e se ampliou.

Nessa direção, em meados de 2014 iniciamos o processo de formalização, com a então Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do DF (SECriança), de um Acordo de Cooperação Técnica para o desenvolvimento de atividades de estudo, formação continuada e pesquisa-intervenção envolvendo a Universidade de Brasília, por meio da Faculdade UnB Planaltina (FUP) e do Laboratório de Psicologia Escolar do Instituto de Psicologia (IP), e os profissionais que atuavam nas medidas socioeducativas de meio aberto e fechado. O Acordo foi efetivamente firmado em outubro de 2016 e respaldou, entre outras ações, a constituição de Grupo de Trabalho (GT) pela SECriança (atualmente SEJUS/DF) com representatividade de servidores de todas as medidas socioeducativas, unidades e cargos. Nesse processo foi de extrema importância o reconhecimento, pela Secretaria, de que o estudo e a formação continuada inserem-se como parte da rotina de trabalho dos servidores.

No âmbito deste Acordo de Cooperação e das iniciativas assumidas conjuntamente pelos membros do grupo podemos citar algumas ações: (a) realização de pesquisas sobre perfil e atuação profissional juntos aos servidores do Sistema Socioeducativo do DF; (b) realização quinzenal de grupo de estudo e debate sobre temas afetos à socioeducação; (c) composição de repositório temático fruto das revisões da literatura sobre os temas em estudo; (d) produção de artigos, capítulos e livros; (e) planejamento e realização de evento técnico-científico de amplitude nacional; (f) elaboração e execução de cursos para servidores do Sistema Socioeducativo do DF; entre outras ações.   

Além da trajetória trilhada pelo GEPDHS com foco no trabalho dos profissionais que atuam no Sistema Socioeducativo do Distrito Federal, uma importante ação foi  a realização do primeiro Curso de Aperfeiçoamento em Docência na Socioeducação direcionado a professores da educação básica de todo o país, desenvolvido em parceria com o Ministério da Educação no ano de 2014.

Também de dimensão nacional o GEPDHS coordenou as duas edições do Simpósio Nacional em Socioeducação realizadas em 2017 e 2019 em Brasília-DF. Ambos os eventos tiveram natureza técnico-científica, explorando temáticas transversais ao campo da investigação científica e ao campo da atuação profissional, e propuseram construir um espaço científico-profissional de socialização e de debate de estudos, resultados de pesquisa e experiências profissionais relacionados à escolarização e ao atendimento socioeducativo no Brasil. Uma das características do Grupo ao longo do tempo tem sido tem sido sua capacidade brilhante de construir processos coletivos, colaborativos e afetivos. E conduzido por essa singularidade tem trilhado caminhos de valorização da relação universidade-socioeducação, a partir de uma perspectiva mutuamente transformadora, sempre voltada a promover avanços e conquistas no campo dos direitos dos adolescentes e jovens autores de atos infracionais. O Grupo de Estudos e Pesquisas em Desenvolvimento Humano e Socioeducação (GEPDHS) da Universidade de Brasília (UnB) é coordenado pela Profª Drª Cynthia Bisinoto (UnB) e está cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq.